Vacinas

ūüí¨ Nas √ļltimas duas semanas, diversas farmac√™uticas divulgaram os resultados de efic√°cia de suas vacinas contra a Covid-19. Quatro est√£o em destaque: Pfizer/Biontech, Moderna, Oxford e Sputnik. Os dados de efic√°cia v√£o de 90% a 95%. A Coronavac, que est√° sendo testada no Brasil, ainda n√£o divulgou seus resultados. A Pfizer iniciou o processo de registro na Anvisa esta semana.

E quais s√£o os acordos para que sejam aplicadas no Brasil?

A Oxford/Astrazeneca tem um acordo fechado com o governo federal para compra e distribui√ß√£o no pa√≠s. A Fiocruz dever√° produzir 130 milh√Ķes de doses. Em rela√ß√£o a Sputnik V, o laborat√≥rio Uni√£o Qu√≠mica vai produzi-la no Brasil e o Instituto de Tecnologia do Paran√° (Tecpar) assinou um acordo para conduzir testes cl√≠nicos de Fase III, bem como o governo da Bahia.
O governo de S√£o Paulo se comprometeu a adquirir 46 milh√Ķes de doses da Coronavac; o Instituto Butantan est√° adaptando suas plantas de produ√ß√£o para produzir o imunizante no Brasil. Em rela√ß√£o a Pfizer/BioNTech, ainda n√£o h√° acordo. J√° a vacina da Moderna √© uma das oferecidas pelo cons√≥rcio Covax Facility, do qual o Brasil √© integrante.

ūüíę A expectativa √© de que no primeiro trimestre de 2021, alguma dessas vacinas esteja sendo aplicada no pa√≠s.