Associação das Prostitutas da Paraíba – APROS-PB

A três anos consecutivos a Associação das Prostitutas da Paraíba – APROS-PB, tem sido apoiada pelo Fundo Positivo para desenvolver o Projeto: “Florecer e Transormar: a luta das prostitutas por Saúde e Cidadania”. O projeto surge da necessidade de incluir as discussões sobre saúde e a importância da consolidação dos direitos e cidadania das prostitutas. Nesse sentido, o projeto tem desenvolvido as seguintes ações: curso de formação em direitos humanos, oficinas na sala de espera das Unidade de Saúde, abordando as estratégias da prevenção combinada ao HIV/Aids, sensibilização sobre a importância da testagem e adesão ao tratamento.

A Coordenadora do projeto Marli Albuquerque Cavalcante relata que “as ações são desenvolvidas em ambito estadual, a relevância desse projeto para a população das prostitutas é de suma importância, pois estamos atingindo os resultados esperados, temos em todos os municípios em que o projeto atua, um serviço de saúde sensibilizado para o atendimento das prostitutas, estamos formando os gestores públicos de saúde e os profissionais para garantir a realização do atendimento de saúde humanizado para as prostitutas”. As prostitutas estão valorizando muito as informações a respeito das estratégias da prevenção combinada ao HIV/AIDS, com relação a PEP – Profilaxia Pós-Exposição – é o uso de medicamentos antiretrovirais por pessoas após terem tido um possível contato com o vírus HIV em situações como: violência sexual; relação sexual desprotegida (sem o uso de camisinha ou com rompimento da camisinha), acidente ocupacional (com instrumentos perfurocortantes ou em contato direto com material biológico).

Para funcionar, a PEP deve ser iniciada logo após a exposição de risco, em até 72 horas; e deve ser tomada por 28 dias. A pessoa deve procurar imediatamente um serviço de saúde que realize atendimento de PEP assim que julgar ter estado em uma situação de contato com o HIV. É importante observar que a PEP não serve como substituta à camisinha e a PREP – Profilaxia Pré-Exposição ao HIV – é o uso preventivo de medicamentos antes da exposição ao vírus do HIV, reduzindo a probabilidade da pessoa se infectar com vírus. A PREP – Profilaxia Pré-Exposição ao HIV – é o uso preventivo de medicamentos antes da exposição ao vírus do HIV, reduzindo a probabilidade da pessoa se infectar com vírus. A PrEP, deve ser utilizada se você acha que pode ter alto risco para adquirir o HIV. A PrEP não é para todos e também não é uma profilaxia de emergência, como é a PEP.

Os públicos prioritários para PrEP são as populações-chave, que concentram a maior número de casos de HIV no país: gays e outros homens que fazem sexo com homens (HSH); pessoas trans; trabalhadores/as do sexo e parcerias sorodiferentes (quando uma pessoa está infectada pelo HIV e a outra não). Algumas prostitutas relatam situações onde deveriam ter feito uso dessas estratégias de prevenção, porém não tinham o conhecimento, por esse motivo a realização da disseminação e democratização do acesso as informações, se faz necessário e urgente, para que possamos enfrentar a epidemia de HIV/Aids. Nesse sentido, realizamos o mapeamento dos serviços que disponibilizam a PEP e a PREP e divulgamos nas zonas de prostituição, afirmou Marli.


____________________

CLIQUE AQUI,

APOIE E FAÇA SUA COLABORAÇÃO

Contato

Nome:

E-mail:

Mensagem:


Investidores:

fundopositivo.org.br - all rights reserved ® 2019